terça-feira, 21 de agosto de 2012

Capitão-do-mato de Dilma: Presidente do Incra usa de força e truculência contra servidores em greve


Num gesto de autoritarismo digno dos capitães-do-mato, o presidente do Incra, Carlos Guedes, tem feito todos os esforços para cortar os salários dos servidores públicos da autarquia que estão em greve.

Por meio de um memorando direcionado para diretorias, superintendências e outras esferas, a presidência do Incra determinou o corte de ponto dos servidores em greve, já na tarde do dia 20 de agosto de 2012, quando o Comando Nacional de Greve no Incra e MDA estava reunido com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

Além do documento determinando o corte de ponto, Guedes chamou a segurança patrimonial da sede do Incra em Brasília para impedir que os servidores em greve pudessem conversar com integrantes do Recursos Humanos (RH) escalados para cortar ponto dos profissionais do Instituto.  

Guedes já havia determinado que estes servidores saíssem de seus locais de trabalho e fizesse as operações de corte diretamente em seu gabinete, gerando grande pressão sobre os servidores responsáveis pelo ato de repressão contra a greve.

A semana está sendo muito tensa em Brasília. Nesta segunda-feira, os servidores receberam do secretário de relações de trabalho, Sérgio Mendonça, que ou acetariam a proposta de reajuste de apenas 5% a cada ano nos próximos três anos ou não mais seriam recebidos pelo governo. Parlamentares que acompanhavam a reunião se comprometeram a tentar intermediar uma reunião entre as entidades dos servidores e a ministra do planejamento, Miriam Belchior. Leia o relato da reunião AQUI.

Também na segunda, os servidores do Ministério do Desenvolvimento Agrário receberam os seus contracheques com o corte de salários dos dias de greve de junho.

Na maior parte do país, os servidores do Incra e do MDA ocupam superintendências regionais, salas de setores de recursos humanos ou fecham os prédios onde funciona a autarquia, delegacias regionais e o programa "Terra Legal" para evitar o corte de salários e protestar contra a falta de uma real negociação por parte do governo federal.

O protesto de servidores na sede da autarquia hoje teve até confronte entre seguranças e grevistas, contornada pelos próprios grevistas. O presidente do Incra esteve no local para verificar uma porta danificada e reforçar a decisão de corte de ponto, que para ele visa evitar o pagamento de "férias remuneradas" aos grevistas.

A Confederação Nacional das Associações dos Servidores do Incra denunciou formalmente o presidente da autarquia na Comissão de Ética da Instituição por abuso de poder, ao impedir que os servidores em greve circulem nas instalações da sede do órgão.

Guedes é petista da corrente "Democracia Socialista" e assumiu o Incra há poucas semanas
.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Unknown disse...

Este senhor terá apenas uma breve passagem pela presidência. Não se pode comandar um órgão como o INCRA, composto por servidores acostumados a lidar com conflitos no dia a dia, na chibata. Os lambe botas, que não entraram em greve são via de regra os que pouco trabalham, os mais aguerridos que estão na greve e são os que são ao mesmo tempo técnicos-motoristas-operadores de gps-fazedores de mapa e alvo móvel para jagunço, com estes não se poderá contar findada a greve. Aí o INCRA fica pequeno para alguém tão obediente ao governo central. (ps.: Não sou anônimo, sou Carlos Moura, PFA da 20)

Unknown disse...

Fora ERNESTO GUEDES, JÁ!